Escolas da rede pública no Triângulo Mineiro aderem à paralisação estadual

Várias escolas da rede estadual de ensino do Triângulo Mineiro paralisaram as atividades nesta quinta-feira (17) em reivindicação à pauta de servidores do Estado, que engloba desde reajuste salarial a melhorias no atendimento do Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (Ipsemg).

A presidente do Sindicato Únicos dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE) em Uberlândia, Elaine Ribeiro, informou que na cidade paralisaram de forma total ou parcial 17 escolas. Em Tupaciguara foram duas escolas paralisadas, Araguari quatro e em Ituiutaba cerca de 14 instituições.

Segundo a sindicalista, a categoria vem reivindicando o pagamento retroativo do piso nacional de 7,64% que, até neste mês de agosto, não foi incorporado aos salários.

Já em Uberaba, o dia de paralisação contou com a adesão de quase 90% das instituições de ensino estaduais da cidade. Conforme levantamento do Sind-UTE, 30 escolas pararam parcialmente e cinco aderiram ao movimento de forma total.

Na pauta de reivindicações dos servidores também consta o reajuste de 5% de adicional de valorização da educação básica, que deve ser retroativo a janeiro de 2017, promoção na carreira a partir de 2016 para quem teve promoção em setembro de 2015 e o cumprimento do acordo com os servidores das Superintendências Regionais de Ensino.

Reunião com o governador

O sindicato que representa a classe se reuniu com o governador Fernando Pimentel nesta quarta-feira (16) e aguarda uma posição do governo. Uma assembleia está prevista para acontecer às 14h desta quinta-feira, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, em Belo Horizonte, para discutir os rumos do movimento.

G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.